Calor animal: todo cuidado é pouco

01/01/2011 by arcabrasil | Filed under Cão e Gato, Dicas/ Lazer, Saúde animal.

Você conhece todos os cuidados que deve ter com o pet no verão? Então reveja alguns pontos e ajude seu mascote a enfrentar o calorão

Vanessa Gonzales
em colaboração para o Notícias da ARCA

Entra ano e saí ano, não tem jeito, a onda de calor intenso atinge as cidades brasileiras sem exceção. As altas temperaturas castiga a todos, incluindo a bicharada, que precisa da atenção redobrada dos donos.

As preocupações vão além de pequenos parasitas como pulgas, carrapatos, sarnas, bicheira (Miíases), berne ou as “moscas de ponta de orelha”. Nessa época aumenta também o risco de desidratação, hipertermia, queimaduras e até câncer de pele.

Ficou assustado? Não precisa, para todos esses problemas existem precauções ou tratamentos.

Parasitas
As pulgas, os carrapatos e as “moscas de ponta de orelha” podem ser observados no pelo do animal ou localizados no ambiente, enquanto sarnas, bernes (larvas de moscas no tecido subcutâneo) e bicheiras (idem) nem sempre são tão evidentes, mas podem ser notados por vistoria direta da pele ou quando os sinais estão mais avançados.

Banhos regulares, com higienização dos ouvidos e a limpeza freqüente do ambiente onde o animal vive, com retirada imediata das fezes, reduzem o risco de infestações.

Atenção, as doenças parasitárias causadas por carrapatos, pulgas e ácaros são perigosas tanto para animais quanto para nós, humanos.

Observou alguma coisa diferente com o peludo? Procure o médico veterinário o quanto antes. Só esse profissional poderá diagnosticar qual é o problema e assim, iniciar o tratamento do seu amigão.

Desidratação
A indicação de muito líquido não é diferente para os bichos, eles também precisam hidratar o corpo. Não esqueça de olhar sempre a vasilha e quando possível, troque por água mais fresca.

Quando for levar o mascote passear não esqueça a garrafinha de água. Existem no mercado opções cada vez mais práticas e bonitas, mas o mais importante é ter sempre por perto uma maneira de matar a sede do animal.

Queimaduras e hipertermia

O calor excessivo e o interior dos automóveis tornam-se algozes dos cães nessa época do ano. E dependendo da espessura da pelagem e do sistema respiratório, pode ser vítima de hipertermia, ou seja, superaquecimento.

Não deixe, nem por “um minutinho”, o peludo trancado em lugares sem sombra, ventilação e dentro do carro, mesmo na sombra e com janelas abertas. A temperatura dentro de um automóvel no verão pode chegar a 100°C em poucos minutos!

Um animal com o quadro de hipertemia pode apresentar problemas para respirar, falta de energia, vômito, tontura e imobilidade. Diante dessa situação, resfrie o corpo do animal imediatamente e corra para o hospital veterinário.

Cuidado especial com as patinhas sensíveis deles. Não os leve para caminhar no asfalto no período mais quente do dia, as “almofadinhas” podem queimar e causar muita dor e desconforto.

Como evitar a hipertermia:

  • Passeios apenas antes das 10h e depois das 17h, evitando os picos do sol.
  • Sempre levar água para que o animal possa beber durante o passeio.
  • Nunca trancar o animal em quintais sem sombra, interiores sem ventilação e dentro do carro, mesmo na sombra e com janelas abertas.
  • Refrigerar o corpo do animal com água gelada ao menor sinal dos sintomas e levá-lo imediatamente para um veterinário.
  • Atenção especial para raças peludas (como o são bernardo, puddle e rusk siberiano) e para cães braquicefálicos (de nariz curto, como o boxer e o bull dog).
  • Banho e Tosa: Evitar levar o animal em horários de grande movimento, como após o almoço, ou mesmo deixar de levá-lo, pois secadores, máquinas de tosar etc. contribuem ainda mais para aquecer o ambiente.


Câncer de pele
Cães e gatos mais branquinhos são as maiores vítimas dessa doença. Felizmente já existem protetores solares específicos para eles. As áreas mais sensíveis em cães são: nariz e ventre e nos gatos, ponta da orelha e nariz.

Assim como todas as outras indicações, evite a exposição no horário com mais sol, principalmente de radiação ultravioleta. E passe sempre o protetor solar.

Assim como os seres humanos as vezes sofrem nesse período do ano, seu animal também pode sofrer. Fique atento aos sintomas e respeite os limites do seu bichinho.


Tags: , , , , ,

2 Responses to “Calor animal: todo cuidado é pouco”

  1. SELMA REGINA IGLEZIAS disse:

    muito boa as dicas estou sempre atenta com os meus bichinhos

  2. Ceres Pascal disse:

    Ótimas dicas. Tive 2 cachorros que adoeceram ao mesmo tempo: 1 com bicheira e outro com pneumonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*