4° Seminário ARCA Brasil – parte 2

15/03/2013 by arcabrasil | Filed under Animais de produção, Ações ARCA, Cão e Gato, Justiça e Legislação.

ARCA Brasil reúne grandes especialistas para debater sobre a Leishmaniose. Mesa de discussão empolga com informações valiosas sobre a doença no país

Por Bruno Schuveizer

O tema escolhido para o segundo período foi a Leishmaniose. O cenário preocupante sobre a doença motivou a ARCA a abordar esse tema e a lançar, em outubro do ano passado, a campanha “Prevenção é a única prevenção”. Com a presença de clínicos veterinários, estudantes, professores e funcionários dos CCZ’s da grande SP, a parte da tarde do Seminário AB, contou com a palestra dos especialistas em leishmaniose: Dra. Ingrid Menz e Dr. Fabio Nogueira, do grupo Brasileish.

Os especialistas falaram sobre a prevenção da doença, que está atingindo cada vez mais cidades, e sobre o fato de que o Brasil ainda ser o único país onde não se pode tratar os cães infectados, que são sacrificados.

A última fase do seminário foi a mesa redonda – formato adotado pela primeira vez no Brasil para debater sobre a LVC. Com o tema “Programa de Combate à Leishmaniose Visceral Canina no Brasil: Revisão Já!”, a mesa de discussão contou com a participação de grandes especialistas (confira no Box abaixo). O objetivo maior foi propor medidas de controle da doença que sejam preventivas, humanitárias e tecnicamente eficazes.

Foram destacadas as formas de prevenção e diagnóstico da doença e criticadas as políticas públicas atuais que vitimam milhares de cães no Brasil.

Da esquerda para a direita: Dra. Mitika, Dr. Fabio, Dra. Ingrid, Dra. Andreia e Dr. Claudio. FOTO: Bruno Schuveizer.

Uma das características mais desafiadoras da doença é o diagnóstico que foi enfatizado pela Dra. Mitika, que deixou claro que é preciso cuidado: “Não se baseiem em resultados sorológicos”.

O alerta foi claro, a leishmaniose é uma doença grave e o papel do médico veterinário é fundamental no combate à doença e também nas mudanças das políticas públicas.

Fábio ressalta que para um controle efetivo da doença é fundamental adotar medidas integradas como castração, repelentes e vacinas.

Em cidades como São Paulo, que ainda não é endêmica para a doença, os profissionais devem se preocupar com as viagens cada vez mais frequentes dos cães que acompanham suas famílias nas férias e fins de semana, concordaram os especialistas.

O evento mostrou a importância de se promover esse tipo de debate, que tem como objetivo a formação e atualização técnica dos profissionais para que se combata de forma mais efetiva essa doença que é bastante grave.

Conheça mais sobre a Leishmaniose: www.ocaonaoeovilao.com.br

Conheça quem participou da mesa redonda:
- Dr. Fábio Nogueira, médico veterinário, professor na disciplina de Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais da Fundação Educacional de Andradina (FEA), integrante do Grupo de estudo Brasileish;- Dra Ingrid Menz, Médica veterinária, consultora técnica para vacinas, em especial Leishmaniose canina e integrante do Grupo de estudo Brasileish;

- Dr. Carlos Eduardo Larsson, Médico veterinário, Livre-docente e Prof Titular do Departamento de Clínica Médica da FMVZ/USP, Responsável pelo serviço de dermatologia da FMVZ/USP;

- Dra. Mitika Hagiwara, Médica Veterinária, Professora Titular do Departamento de Clínica Médica da FMVZ/USP; Linhas de pesquisa principais: Hematologia e Imunologia das doenças Infecciosas de Cães e Gatos;

- Dra Andréa Pereira da Costa – Médica Veterinária, Doutoranda do VPS-FMVZ/USP, integrante do grupo de estudos para diversidade, filogenia e filogeografia de parasitas dos gêneros leishmania e trypanossoma;

- O Dr. Claudio Rossi, Médico Veterinário, Doutorando do Departamento de Clínica Médica da FMVZ/USP. Atua na área de Clínica Médica de Pequenos Animais, com ênfase em Dermatologia Veterinária e em enfermidades infecciosas e parasitárias de cães e gatos, com destaque para a leishmaniose visceral (canina e felina).

Veja a galeria de fotos do Evento:


Tags: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*