Doe Agora

BUSCA:

 

Parasitas Externos: Pulgas, Carrapatos, Mosquitos ...


Saiba quais são as ameaças e como manter seus animais e sua família protegidos.



A infestação por pulgas e carrapatos está entre as reclamações mais frequentes em clínicas veterinárias e pet shops.

 

Na estação mais quente do ano, o verão, esse problema é ainda maior devido à alta proliferação das pulgas.

Fazer a proteção preventiva dos cães e gatos é a melhor forma de evitar infestações e doenças como dermatites, parasitoses e anemias.

Os produtos de combate aos minúsculos inimigos estão cada vez mais seguros e eficientes.

Se o animal já estiver com o parasita será necessário realizar medidas integradas de controle incluindo o tratamento do ambiente. Isso porque as pulgas presentes no animal representam somente 5% da população total desse parasita. Os outros 95% – incluindo ovos, larvas e pupas – estão no ambiente onde o animal vive.

No pensamento popular, é normal um cachorro ou um gato terem pulgas. Mas o sofrimento que esses insetos podem causar aos animais, entre coceiras, feridas graves e doenças é muito maior do que se imagina.

Estudos demonstram que as picadas de pulgas representam de 50 a 80% dos problemas de pele que atingem cães e gatos. Essas reações alérgicas recebem o nome de Dermatite Alérgica a Picada de Pulga (DAPP) e são conhecidas, também, como Dermatite Miliar quando se manifestam nos gatos. A alergia não é provocada somente pela picada, mas pelo contato da saliva da pulga com a pele do animal. 

Nos cães a DAPP pode ser reconhecida pela queda acentuada de pêlo e vermelhidão na região dorsal próxima à cauda, região conhecida como triângulo da DAPP e nos felinos principalmente na área do pescoço, seguidas sempre por intensa coceira.

O animal deve ser levado ao veterinário assim que percebida a irritação, pois as lesões tendem a piorar rapidamente por causa da coceira e a demora do proprietário pode trazer mais complicações como a Piodermite (infecção de pele), cujo tratamento é bem mais complicado que a DAPP e inclui o uso de antibióticos.

Existem vários produtos disponíveis no mercado que variam na sua composição, modo de ação, frequência e formas de aplicação: pipetas, spray, coleiras, comprimidos, xampus, sabonetes e talco.
Converse com o veterinário sobre o produto mais adequado ao seu animal e siga as recomendações do fabricante.

Use produtos apropriados no ambiente ou contrate uma empresa de dedetização especializada.
A prevenir é sempre melhor do que tratar uma infestação instalada que traz ainda vários riscos à saúde do seu pet.

Doenças causadas por ectoparasitas:
Parasitose intestinal por Dipilidium caninum
Transmissor: pulgas
Sintomas: anemia e distúrbios nutricionais.

Erliquiose
Transmissor: carrapato
Sintomas: falta de apetite, cansaço, apatia, febre e anemia. Como há diminuição significativa das plaquetas, podem ocorrer sangramentos. É muito comum em cachorros

Babesiose
Transmissor: carrapato
Sintomas: mal-estar, cansaço, febre e anemia. Nos casos mais graves, pode haver convulsão.

Dirofilariose
Transmissor: mosquito
Sintomas: conhecida como a doença do verme do coração, provoca falta de ar, tosse, cansaço e inchaço do abdômen. Mais comum em regiões litorâneas e próximas a lagos e rios. Afeta também os gatos

Leishmaniose

Transmissor: mosquito
Sintomas: lesões severas na pele ou inchaço do abdômen devido ao crescimento de órgãos internos. Doença grave que leva ao óbito.

Hemobartonelose
Transmissor: pulgas
Sintomas: causa a anemia infecciosa felina. O parasita sanguíneo ataca a superfície das células vermelhas e pode causar diversos problemas como anorexia, depressão, anemia, icterícia e febre.

 


 

 

 


Cadastre-se e receba informações da ARCA:

NOME:

E-MAIL:








Reprodução de conteúdos
Estimulamos a reprodução de nossos conteúdos, desde que na íntegra, com créditos para a ong, ao autor (quando houver) e link para o site da ARCA notificando para arcabrasil@arcabrasil.org.br Edições de texto devem ser previamente consultadas. Não é permitida a reprodução de fotos.